MSF e DNDi lançam apelo para aumentar a pesquisa e desenvolvimento (P&D) na luta contra as doenças negligenciadas

[ Genebra/Nova Iorque – 23 de fevereiro de 2009 ]
Uma maior liderança dos governos é necessária para promover inovações médicas que favoreçam milhões de pacientes negligenciados.
[English]
[Français] [Español]

A organização humanitária internacional Médicos Sem Fronteiras (MSF) e a iniciativa Medicamentos para Doenças Negligenciadas (DNDi) lançam hoje um apelo para um financiamento mais sustentável de pesquisa e desenvolvimento (P&D) para doenças que são mortais, mas ainda assim negligenciadas, tais como a doença do sono, leishmaniose visceral e doença de Chagas, as quais afetam milhões de pessoas ao redor do mundo.

MSF anunciou também que renova seu apoio operacional e financeiro à DNDi, uma organização de P&D sem fins lucrativos cofundada por MSF e outros cinco institutos de pesquisa públicos e privados em 2003, em resposta à urgente necessidade de novos tratamentos e à falta de liderança pública em estimular a P&D de inovações médicas para as doenças negligenciadas.

“Os pacientes com doença do sono são obrigados a suportar tratamentos tóxicos e perigosos para terem uma chance mínima de sobreviver. Ao mesmo tempo, os tratamentos para pacientes de leishmaniose visceral continuam a ser financeiramente proibitivos, e, para a doença de Chagas, tratamentos nem sequer existem”, declara o Dr. Christophe Fournier, presidente do conselho internacional de MSF. “A DNDi mostrou que em matéria de pesquisa e desenvolvimento, as parcerias inovadoras e dirigidas pelas necessidades podem produzir medicamentos adaptados aos nossos pacientes. No entanto, a DNDi e outras parcerias público-privadas não podem servir de substitutos à liderança política e ao comprometimento dos governos em assegurar que os pacientes negligenciados tenham acesso a medicamentos que lhes salvem a vida”.

Desde a sua criação, a DNDi desenvolveu duas combinações em dose fixa (ASAQ e ASMQ) para o tratamento da malária. Estes tratamentos não são protegidos por patente e portanto podem ser fabricados por diversos laboratórios, permitindo uma produção de medicamentos adaptada às necessidades do paciente, a preço competitivo e em quantidade suficiente. Além disso, um ensaio clínico recentemente concluído pela DNDi, com o suporte operacional de MSF, revelou dados promissores para uma importante melhora no tratamento da doença do sono. A DNDi também desenvolveu o maior portfólio da história para a P&D de novos tratamentos para a doença do sono, leishmaniose visceral e doença de Chagas.

“Estimular a inovação e desenvolver tratamentos eficazes e financeiramente acessíveis para doenças que afetam as populações mais pobres do mundo, e que estão fora dos mecanismos de mercado, continuam a ser um enorme desafio para a DNDi e seus parceiros, devido à falta de fontes de financiamento sustentáveis”, afirma Dr. Bernard Pecóul, diretor executivo da DNDi. “Os resultados demonstram que, quando a P&D é orientada pelas necessidades dos pacientes, é possível criar ferramentas de saúde de qualidade e disponibilizá-las às pessoas mais empobrecidas e ameaças pelas doenças negligenciadas.”

Embora as perspectivas em relação à P&D de medicamentos para as doenças negligenciadas tenham melhorado a partir de 2003, as necessidades dos pacientes nos países em desenvolvimento ainda estão longe de serem atendidas. Um estudo recente sobre o financiamento global de inovação para doenças negligenciadas (G-Finder, na sigla em inglês) revelou que menos de 5% do financiamento mundial de P&D para essas doenças foram investidos nas doenças extremamente negligenciadas, tais como a doença do sono, leishmaniose visceral e doença de Chagas. Mais de 500 milhões de pessoas são ameaçadas por estas três doenças parasitárias. Dada a enorme necessidade de tratamentos para os pacientes, MSF se comprometeu a financiar a DNDi com 18 milhões de euros (cerca de R$ 54 milhões) durante os próximos seis anos, e continuará fornecendo apoio através de seus programas no campo para as atividades operacionais e de pesquisa clínica necessárias para que a DNDi avance com o seu portfólio de desenvolvimento de medicamentos.

Notas aos editores


Sobre a DNDi

A iniciativa Medicamentos para Doenças Negligenciadas (DNDi, na sigla em inglês) é uma parceria de desenvolvimento de produtos independente e sem fins lucrativos, que trabalha para pesquisar e desenvolver novos e melhores tratamentos para doenças negligenciadas, tais como leishmaniose, tripanossomíase humana africana, doença de Chagas e malária. Para mais informações, consulte www.dndi.org.

Sobre MSF

Médicos Sem Fronteiras (MSF) é uma organização humanitária internacional de cuidados médicos criada em 1971. Atualmente, MSF fornece cuidado médico emergencial para mais de 60 países onde pessoas são ameaçadas por violência, negligência ou catástrofes, causadas principalmente devido a conflitos armados, epidemias, desnutrição, exclusão dos sistemas de saúde ou desastres naturais. MSF fornece assistência independente e imparcial àqueles que mais necessitam. MSF se reserva o direito de anunciar publicamente a falta de atenção às doenças negligenciadas, a criticar as deficiências dos sistemas de saúde e de lutar por melhores tratamentos e protocolos médicos. Para mais informações, consulte: www.msf.org.

Contatos para a midía

DNDi
Sadia Kaenzig, DNDi Genebra, +41 (0)79 819 99 71 skaenzig@dndi.org
Michelle French, DNDi América do Norte, (646) 616-8681 or (646) 552-4600 mfrench@dndi.org

MSF
Michael Goldfarb, MSF USA, +212 763 5783
Michel Peremans, MSF International, +41 (0)79 814 9269
Para jornalistas e difusores de informação interessados em utilizar trechos de filmes sobre doenças negligenciadas da DNDi e MSF, favor clicar em ftp://84.16.88.4/data; nome do usuário: event230208; senha: mediadndi; ou envie seu pedido à: Info@dndi.org, ou entre em contato com Violaine Dällenbach: 0041 22 906 92 47.

View the 6-minute documentary In the Sleeping Sickness Ward (Banda – Haut Uélé, Democratic Republic of Congo)