Em evento público no México, a Coalisão Global contra a Doença de Chagas incentiva o aumento do acesso ao diagnóstico e tratamento de pacientes com Chagas

[Cidade do México, México – 11 de agosto de 2014]
Das 8 milhões de pessoas infectadas em todo o mundo, 1 milhão são mexicanas. No Brasil, estima-se 1,9 milhão de pessoas com a doença.
Durante o Congresso Internacional de Parasitologia (ICOPA) 2014, a Coalizão Global contra a Doença de Chagas organiza hoje o evento “Levantemos a voz” para fazer um alerta: dos 8 milhões de pacientes com doença de Chagas, 99% não são tratados. O objetivo do encontro é promover uma parceria entre governos, organizações sociais, médicos e pesquisadores, bem como a sociedade civil, para discutir medidas simples que podem ser realizadas para melhorar o acesso ao tratamento e o diagnóstico aos pacientes.
[English] [Español]

Dados mais recentes da Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS) revelam que mais de 100 milhões de pessoas estão em risco de contrair a doença, sendo quase 30 milhões apenas no México, onde o evento acontece. No país, há 1 milhão pessoas infectadas e, a cada ano, são registrados cerca de 7.700 casos de transmissão por vetores e aproximadamente 1.100 crianças nascem com a doença a cada ano no país.[1] No Brasil, Chagas é a causa de morte de cerca de 6 mil óbitos por ano, segundo dados do Ministério da Saúde.

No encontro desta noite, a Coalizão de Chagas, pesquisadores, especialistas em doenças negligenciadas, pacientes e representantes de governos examinam em conjunto uma série de medidas para impulsionar o diagnostico e o tratamento de pessoas infectadas, garantindo qualidade e disponibilidade.

O acesso a tratamento não é apenas uma responsabilidade do Estado, mas também de outros setores da sociedade civil. Por exemplo, médicos precisam identificar pessoas em risco e seguir as recomendações emitidas pela Organização Mundial de Saúde para o tratamento de pacientes em fase aguda e em fase indeterminada crônica da doença. A sociedade civil deve contribuir para dar visibilidade ao problema, cooperando para sua divulgação e na busca de soluções, apoiando aos mais necessitados. Em um esforço conjunto, é possível trabalhar por um futuro mais saudável e mais equitativo para as 10 milhões de pessoas que sofrem de Chagas no mundo.

Durante o evento, a artista Shelly Xie também fará uma apresentação de storytelling com arte em areia, seguida de um vídeo com informações e dados sobre Chagas no mundo e a necessidade de tratamento urgente.

A Coalizão Global contra a Doença de Chagas foi fundada na cidade de Nova York em dezembro de 2012. Seu objetivo é promover o acesso ao diagnóstico e tratamento de pacientes com doença de Chagas e promover esforços globais que estimulem a produção de novas ferramentas para combater a doença. É composta por organizações da sociedade civil iniciativa Medicamentos para Doenças Negligenciadas (DNDi, na sigla em inglês), Instituto Barcelona de Saúde Global (ISGlobal), Fundação Mundo Sano, CEADES, Sabin Vaccine Institute, Baylor College of Medicine e Texas Children’s Hospital.

A Coalizão Global contra a Doença de Chagas convida a todos que desejam participar a unir esforços para contribuir, compartilhar e agregar conhecimento. A coalizão está aberta à participação de cientistas, indústria farmacêutica, pacientes , pessoas em geral e todos aqueles que são afetados pelo problema.

Oradores:

  • Pablo Kuri Morales, secretário de saúde, México;
  • Pécoul Bernard, diretor executivo, DNDi;
  • Dra. Tamara Mancero. Organização Pan-Americana da Saúde, México (a confirmar);
  • Igor Almeida, Universidade do Texas;
  • Elvira Idalia Hernandéz Cuevas, Associação Mexicana de Pessoas Afetadas pela Doença de Chagas (AMEPACH)

Para mais informações sobre organizações da Coalizão Global contra a Doença de Chagas:

Contatos para a imprensa no México:

Catalina de la Puente – coordenadora da Coalizão Global contra a Doença de Chagas – chagas@chagascoalition.org – +00 54 92214631573

Daniel Salman – analista de comunicações, DNDi – dsalman@dndi.org – +55 21 9811 2798

Betina Moura – gerente de comunicações, DNDi – bmoura@dndi.org – +55 21 99371 0925



[1]OPAS: Estimativa quantitativa da doença de Chagas nas Américas/Quantitative estimation of Chagas Disease in the Americas. Organização Pan-Americana da Saúde. Montevidéu, Uruguai, 2006. OPS/HDM/CD/425-06.